Dramaturgia Baiana

Fábio Espírito Santo

FÁBIO ESPÍRITO SANTO é diretor, dramaturgo, roteirista e iluminador cênico. Graduado em Comunicação Social – Cinema e Vídeo; possui especialização em “Roteiros para Audiovisual”.

Como dramaturgo, é premiado pelo texto “A Farsa da Usura”, no Concurso Nacional de Dramaturgia Álvaro de Carvalho/SC.1998. É também de sua autoria a comédia “Matilde, La Cambiadora de Cuerpos”, o musical “Amor Barato”, prêmio do Edital de Textos Dramatúrgicos da Bahia (Funceb/2010) e o infantojuvenil “Sem Pé Nem Cabeça”, entre outras obras.

Assinou o roteiro e a direção do DVD “Áfricas” (2012), do Bando de Teatro Olodum; a direção artística do concerto/DVD “Yèyè Omó Ejá – Mãe das águas” (2010). Dirigiu os espetáculos “Sobre Flores no Asfalto Quente” (2009); o circense “Histórias Contadas de Cima” (2008); a comédia “Divorciadas, Evangélicas e Vegetarianas” (2005); o musical infantil “Do Outro Lado do Mundo” (1999); e o espetáculo de rua “Quem Não Tem Cão Casa com Gato” (1996).

Na área da iluminação cênica, recebeu o troféu Braskem de Teatro/2008 pelo seu trabalho nos espetáculos: “O Olhar Inventa o Mundo”, “Batata” e “Casa Número Nada”.

No campo do audiovisual, trabalhou como roteirista e diretor de filmes educativos e institucionais. Entre seus trabalhos destacam-se a direção do vídeodança “Sonhos, sopros e sentimentos” (2012), os curtas-metragens de ficção “Cabidela” (2006) e “Onde está Lynch?” (2002) vídeo premiado em festivais de Santa Maria (RS) e Rio de Janeiro (VídeVideo/RJ); a direção do especial para televisão “Bêbado em cama alheia” (2004-TVE.BA).

Trabalhou na elaboração e coordenação de projetos culturais como diretor do Teatro Vila Velha (2008/2009); como repórter do Correio da Bahia e diretor técnico de eventos e casas de espetáculos.

Obras

Voltar

Cultura e Cidade

A Cidade do Futuro, o filme

Márcio C. Campos 24/04/2018

Várias cidades do futuro foram erguidas no mundo desde que a sensibilidade moderna se estabeleceu: da italiana e renascentista Palmanova, com sua complexa combinação matemática originando uma...

Odoyá, receba o nosso lixo!

Cláudio Marques 08/02/2018

  Por décadas, eu frequentei a festa dedicada à Iemanjá no Rio Vermelho. Desde 1986, acho, de forma ininterrupta. Eu sou diurno e sempre cheguei cedo, por volta das cinco horas da manhã. Sol...

Assine nossa newsletter